AMA cobra proteção ao Cipreste

FacebookLinkedInGoogle+WhatsApp
DSCN5969
                
                A AMA encaminhou ofícios solicitando providências às Secretarias de Meio Ambiente e de Turismo e Cultura, visando à manutenção da sanidade e segurança do Cipreste, árvore símbolo de Guaíba.
                A retomada do transporte hidroviário entre Guaíba e Porto Alegre, há quatro anos, tem aportado um número cada vez maior de visitantes ao Sítio Histórico, e sobretudo entorno no Cipreste. Esse trânsito contínuo de pessoas acarreta, muitas vezes, o pisoteamento e  o consequente adensamento e compactação do solo ao redor de seu caule, podendo levar à deficiência no aporte hídrico às suas raízes. Neste ano, o Cipreste apresentou sinais diferenciados em seu aspecto, principalmente relativos ao amarelamento das pontas de sua copa.
                Já tramita no COMMEA – Conselho Municipal de Meio Ambiente, processo para contratação de empresa para avaliação fitossanitária do Cipreste, com posteriores recomendações de manejo que garanta aporte de água e nutrientes, sua sanidade e segurança.
                Foi solicitado pela AMA – tendo em vista a inestimável importância simbólica do Cipreste para o município de Guaíba, inclusive para o movimento tradicionalista –, que durante a semana farroupilha seja instalada proteção ao redor do Cipreste, no sentido de evitar o pisoteamento do solo e outros eventuais danos à árvore símbolo de Guaíba. Se possível, que esta proteção seja mantida ao longo do ano, em função da crescente visitação em seu entorno.
                Entendemos como fundamental para a valorização de nossos patrimônios ambientais e culturais, a visitação, o contato, e a interação com tais patrimônios. Não podemos ignorar, no entanto, que em função do Cipreste constituir-se acima de tudo de um ser vivo, do qual a comunidade tem total interesse em preservar, são necessários cuidados especiais para garantir sua saúde ainda por muitos anos.
FacebookLinkedInGoogle+WhatsApp